A atriz Emilia Clarke surpreendeu a todos ao detalhar o drama que viveu enquanto gravava a série “Game of Thrones”. Ela sofreu, dois aneurismas cerebrais, um em 2011 e outro em 2013 e afirma ter “perdido” parte de seu cérebro em decorrência disso.

“Uma parte do meu cérebro que não é mais utilizável. É notável que eu seja capaz de falar, às vezes de forma articulada, e viver minha vida normalmente, sem absolutamente nenhuma consequência”, disse a atriz, de 35 anos, durante uma entrevista ao programa “Sunday Morning”, da BBC One. E reconhece fazer “parte da minoria muito, muito, muito pequena de pessoas que podem sobreviver a isso.”

Ela teve o primeiro aneurisma em 2011 no intervalo entre a primeira e a segunda temporada do programa da HBO, e o segundo aneurisma em 2013, ambos exigindo longos períodos de recuperação para lidar com o dano cerebral.

Na entrevista, ela conta que fica surpresa por poder viver normalmente. “O que sempre me faz rir, porque derrames, basicamente, assim que qualquer parte do seu cérebro não recebe sangue por um segundo, ele desaparece. E assim o sangue encontra uma rota diferente para se locomover, mas então qualquer pedaço que esteja faltando desaparece.”

Emilia falou pela primeira vez sobre o assunto em 2019, em um artigo para a revista “The New Yorker”, quando explicou que tinha sofrido desmaios entre a primeira e segunda temporada da série, aos 24 anos.

“Meu nome completo é Emilia Isobel Euphemia Rose Clarke”, escreveu ela. “Mas eu não conseguia me lembrar. Em vez disso, palavras sem sentido saíram da minha boca e eu entrei em pânico cego”, contou. “Eu sofria de uma condição chamada afasia, consequência do trauma que meu cérebro sofreu”, disse no artigo.

Afasia é quando há alteração de linguagem que afeta a capacidade de falar ou se expressar verbalmente, a compreensão da linguagem verbal, a compreensão da leitura e a capacidade de escrever. Foi o mesmo diagnóstico que levou a aposentadoria do ator Bruce Willis e do cartunista Angeli.

“Nos meus piores momentos, eu queria puxar o plugue”, escreveu ela. “Pedi à equipe médica que me deixasse morrer. Meu trabalho, todo o meu sonho de como minha vida seria, centrava-se na linguagem, na comunicação. Sem isso, eu estava perdida.”

A afasia de Clarke, no entanto, foi temporária. “Fui mandada de volta à UTI e, depois de cerca de uma semana, a afasia passou”, escreveu ela. “Eu consegui falar.”

Ainda em 2013, a atriz passou por uma segunda cirurgia para tratar de outro aneurisma que estava prestes a “estourar”. Embora a cirurgia tenha sido traumática, com complicações, a Clarke conseguiu voltar ao trabalho.

Relembre a atuação de Emília assistindo ao vídeo abaixo:

Para ler a matéria completa, acesse g1

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!