Trata-se da história de André Gonzalez, 46 anos, e que fora condenado em 2010 por um júri que acreditou ser ele culpado por um homicídio havido em 2005, em meio a um assalto, em uma boate, em Miami. A principal prova era testemunhal, um rapaz ferido no assalto afirmava reconhecer André.

Contudo, a sorte do condenado muda quando dois jornalistas decidem recontar o caso. Ao entrevistarem um outro preso, este admitiu que Gonzalez não fora o assassino. O preso, Arnold Clark, mais tarde testemunhou no tribunal que seu amigo, um DJ que atuava no clube naquela noite, era o verdadeiro assassino, não Gonzalez.

No mês de setembro, o juiz do condado local acatou a apelação da defesa, colocando em dúvida a principal testemunha ocular do ocorrido. Ele ordenou que a condenação fosse revertida – e que Gonzalez recebesse um novo julgamento. Em novo julgamento, André Gonzalez foi INOCENTADO.

Sobre essa liberdade, após passar 12 anos indevidamente preso, André afirmou:

“O sol e a brisa me pareceram tão maravilhosos, me sinto incrivelmente feliz em poder andar sob uma calçada, um chão que não seja feito de concreto”, disse ao sair da prisão. “Tem sido um longo e duro tempo, de muita luta. É uma sensação maravilhosa agora.”

Fonte: Miami Herald

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!