Estrearam hoje, no catálogo da Netflix, os filmes Pai em dose dupla e Pai em dose dupla 2.

No filme primeiro, justamente quando o padrasto todo certinho cheio de boa vontade consegue a confiança dos filhos da sua mulher dos seus sonhos, o atlético e irresponsável ex-marido dela volta para tentar reconquistá-los.As crianças, por mais que gostem dele, sentem a falta da figura do pai. Em todo dessa situação, a trama se desenvolve de modo cômico e divertido.

As diferenças entre o pai e o padrasto são gigantes e isso torna o filme muito engraçado. Wahlberg é o durão, enquanto que Ferrell é o pateta.

Tanto o primeiro filme quanto a sua sequência são típicas comédias leves que podem servir de excelente opção para uma família numa tarde de quarentena ou numa tarde de domingo.

No filme 2, a introdução é ágil em mostrar que Brad e Dusty estão em uma situação completamente diferente. Conciliados entre si e aceitos por Megan (Scarlett Estevez) e Dylan (Owen Vaccaro), agora eles dividem as atividades com as crianças; encenadas de modo a acentuar que elas estão felizes, mas sentem falta de aspectos específicos em cada um dos pais. Isto gera um ciúme, que evolui para uma guerra velada, e enfim se concretiza com o mesmo efeito cômico grotesco de Pai em Dose Dupla, marcado por efeitos especiais toscos (que funcionam nesse contexto) e acidentes vitimando o atrapalhado Brad (Adoro Cinema).

Cremos que vale preparar a pipoca e o guaraná, ajeitar as almofadas na poltrona, chamar os filhotes e garantir uma bela e divertida seção da tarde em sua casa!

Aqui, o trailer do filme primeiro
Pai em dose dupla


Abaixo, o trailer do filme 2, que dá sequência à história:
Pai em dose dupla 2

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!