Pai do menino Henry Borel, o engenheiro Leniel de Almeida, fez uma postagem na quarta-feira (7) lembrando um mês da morte da criança. Na mensagem, Leniel pede desculpas por não ter feito mais pela segurança do filho.

“Henry, 30 dias desde que te dei o último abraço. Nunca vou esquecer de cada minuto do nosso último final de semana juntos. Deixar você bem, cheio de vida, com todos os sonhos e vontades de uma criança inocente. Desculpe o papai por não ter feito mais, lutado mais e protegido você muito mais. Confiamos que Deus fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. Salmos 37”

Henry morreu na noite do dia 8 de março após chegar ao hospital com dificuldades para respirar. Segundo o laudo do IML (Instituto Médico Legal), os ferimentos que causaram a morte foram feitos por uma ação violenta. A mãe da criança, a professora Monique Medeiros, e o padastro de Henry, o vereador Dr. Jairinho são investigados no caso e foram presos na manhã desta quinta-feira (8).

O vereador Doutor Jairinho, hoje afastado do partido Solidariedae (RJ) e Monique Medeiros da Costa Silva de Almeida, genitora do menino Henry, morto de forma violenta no dia 8 de março deste ano, estão presos por, segundo a polícia, tentarem atrapalhar as investigações no caso em que são considerados suspeitos.

Para o delegado, não há qualquer dúvida de que sejam eles os autores do homicídio.

Saiba mais: Caso Henry: vereador Jairinho e a mãe da criança são presos. Além do homicídio, suspeita de tortura

 

A Revista Pazes apoia as medidas sociais de isolamento.
Se puder, fique em casa. Evite aglomerações. Use máscara.
Quando chegar a sua vez, vacine-se.
A vida agradece!

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!