A voz e a escrita do Eduardo Galeano são referência de resistência na América Latina. Galeano usou sua literatura para devassar e condenar com muita contundência as opressões, as injustiças e as desigualdades em nosso continente.

Nesses tempos tão difíceis, de um autoritarismo perverso, de tantos retrocessos sociais e rupturas democráticas, recordar e reverenciar a literatura de resistência do Eduardo Galeano, um defensor incansável da democracia, dos direitos sociais e civis e das nossas liberdades, é um imperativo necessário.

Hoje, portanto, compartilho o conto do seu Livro dos Abraços, chamado Celebração da Voz Humana.

E como ele mesmo diz: “Quando é verdadeira, quando nasce da necessidade de dizer, a voz humana não encontra quem a detenha. Se lhe negam a boca, ela fala pelas mãos, ou pelos olhos, ou pelos poros, ou por onde for. Porque todos, todos, temos algo a dizer aos outros, alguma coisa, alguma palavra que merece ser celebrada ou perdoada”.

Com todo meu afeto,

Manú do Sertão.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS