Brasilia DF 28 10 2020 Anvisa liberou hoje importação de matéria-prima da Coronavac, vacina chinesa que será produzida pelo Butantan foto GOVESP

A CNN Brasil teve acesso à bula da Coronavac e publicou uma matéria que aponta para a baixa contraindicação devido a reações adversas principalmente em pessoas com alergia a algum componente usado em sua produção.

A bula indica que as pessoas com doença aguda, início de enfermidade crônica e histórico de epilepsia ou convulsão devem consultar um médico antes de serem imunizados pela vacina.

A orientação é que, caso a pessoa tenha alergia a algum componente da vacina e não saiba até o momento de aplicação, os postos de vacinação tenham doses de adrenalina disponíveis para reverter um possível choque anafilático.

Ainda segundo a CNN, o regulamento, o Instituto deve garantir pronto-atendimento por trinta minutos após a aplicação. “A orientação é que, se a pessoa não tem certeza se é alérgica a algum componente ou não, ela fique no local por 30 minutos”, diz Luiz Gustavo de Almeida, microbiologista da USP e coordenador do Instituto Questão de Ciência.

Gestantes e lactantes não devem se vacinar neste primeiro momento, simplesmente, porque as pesquisas e estudos não contemplaram esse grupo.

“Não quer dizer que vai ter problema, mas não temos como garantir que não terá. É simplesmente pelo fato deste grupo não ter sido testado, portanto, não é possível garantir a segurança”, diz Almeida.

O microbiologista também destaca restrições para pessoas com sistema imunodeprimido ou imunodebilitado.

“Principalmente aquelas que fazem uso de imunoglobulina humana. Ela deve ser vacinada com, pelo menos, um mês de intervalo para não interferir na resposta imunológica”, alerta. “Mas a orientação na bula é de que podem sim, desde busquem a orientação medica.”

As informações são da CNN

Foto: Governo de SP/Divulgação

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!