A paciente cuja reinfecção foi comprovada é umamédica de 37 anos moradora do Rio Grande do Norte que trabalha também na Paraíba. Ela foi infectada por duas linhagens diferentes do vírus – a primeira em junho e a segunda, em outubro.

A confirmação se deu por meio dos governos do Rio Grande do Norte e da Paraíba. Foi utilizado o método da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) por sequenciamento genético, no que se confirmou que a mulher foi infectada por duas linhagens diferentes do vírus.

Segundo noticiado pelo G1, A primeira infecção dela aconteceu em junho. Após apresentar um quadro de síndrome gripal (cefaleia, dor abdominal e coriza) no dia 17, a paciente realizou o exame RT-PCR na Paraíba em 23 de junho.

O resultado do teste foi positivo e ela se recuperou após período de isolamento recomendado.

A profissional da saúde, no entanto, voltou a apresentar um quadro de síndrome gripal no dia 11 de outubro. Entre os sintomas, estavam astenia (sensação de fraqueza), mialgia (dor muscular), cefaleia frontal (dor de cabeça) e distúrbios gustativos e olfativos (ausências de olfato e/ou paladar).

Ambas as linhagens do vírus detectadas na paciente potiguar estão em circulação no Brasil, segundo a Sesap, que se baseia em estudos realizados por unidades de pesquisa nacionais.

Para ler a matéria completa, acesse o G1

Imagem de Engin Akyurt por Pixabay

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!