Em meio à devastadora guerra civil de Moçambique, Muidinga, um refugiado órfão, vaga pelo campo em busca de sua mãe.

Seu único companheiro é um velho contador de histórias, e o único guia para encontrar sua mãe é o diário de um homem morto.

Este drama transportador ressalta o poder da imaginação em sobreviver e, por fim, superar a catástrofe da guerra.

A narrativa é embasada no livro homônimo do escritor Mia Couto. O livro foi ganhador do Prêmio Nacional de Ficção da Associação dos Escritores Moçambicanos (1995) e foi considerado um dos doze melhores livros africanos do século XX por um júri criado pela Feira do Livro do Zimbábue.

“Foi reeditado no Brasil pela Companhia das Letras – é um romance em abismo, escrito numa prosa poética que remete a Guimarães Rosa. Couto se vale também de recursos do realismo animista e da arte narrativa tradicional africana para compor esta bela fábula.” WP

A obra foi publicada em Portugal pela Editorial Caminho em 1993.

Abaixo, segue o filme:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!