Publicado originalmente em Sou Mamãe

As crianças que crescem com seus avós são sortudas. Graças a esse vínculo, elas têm contato com mais experiências de afeto, mais reforços emocionais e mais lembranças que vão estar sempre presente.

É claro, isso não quer dizer de forma alguma que nossos filhos vão ser menos felizes caso cresçam sem os avós por perto.

Trata-se apenas de entender que a infância é essa oportunidade única na qual a maior quantidade de estímulos, atenção e vínculos baseados no amor incondicional são sempre traduzidos em uma maior maturidade emocional.

Por outro lado, um aspecto interessante e de grande valor é que, segundo uma pesquisa, as crianças que ficam sob os cuidados dos avós recebem mais influência na aquisição da linguagem e são emocionalmente mais seguras.

É claro que, às vezes, nem todos os casais têm os pais morando por perto para favorecer esse laço “avós-netos”.

No entanto, se você tiver, não hesite. Permita que seus filhos e seus pais desfrutem dessa relação no dia a dia.

A infância é uma fase que passa muito rápido. Assim, e com o objetivo de proporcionar a consolidação de uma personalidade mais forte e feliz aos nossos filhos, é muito positivo poder aproveitar esse tipo de vínculo do qual nós também nos aproveitamos um dia.

Como já sabemos, os avós possuem muito carinho dentro de si, magia nos bolsos e aquele sorriso sempre pronto e persistente que consegue tirar o melhor das crianças.

A partir dos 3 anos, as crianças se beneficiam mais da proximidade com os avós

De 0 a 3 anos de idade, a criança precisa da mãe e do pai por perto. Esse primeiro círculo social e afetivo de qualquer criança consolida seu desenvolvimento cerebral e a relação de apego.

Uma vez que nosso filho já começa a interagir com o ambiente, manipulando objetos, andando, tocando e iniciando o processo comunicativo, a presença dos avós é um tesouro de benefícios.

“O desenvolvimento comunicativo-emocional é superior nas crianças que crescem com os avós”

Nós devemos admitir que os avós possuem uma energia incrível.

Além disso, eles enxergam na chegada dos netos um modo de rejuvenescer ao adquirir um novo papel do qual gostam muito.

O papel de fornecedores de carinhos, histórias, doces, presentes inesperados e longos passeios pelo parque na velocidade de uma tartaruga.

Ficou para trás a fase de criação, de imposição de regras e normas. O papel dos avós não é esse, e eles não o desejam.

Não desejam ter a autoridade dos pais. A criação deles é permissiva e envolvente. Com cheiro de baunilha, com o calor das tardes de primavera e com o sabor das comidas favoritas das crianças.
Todas essas dinâmicas com reforços maravilhosos agem estimulando a linguagem dos nossos filhos. Isso é algo que não se obtém da mesma forma quando as crianças ficam em creches.

Os avós interagem com os pequenos constantemente. Quase sem perceber, eles se transformam em poderosos arquitetos das capacidades comunicativas das crianças.

Deixam uma marca emocional permanente nas crianças

Nesse mudo de correria, caótico em alguns momentos, e cheio de obrigações para mães e pais, os avós possuem uma vantagem excepcional. Eles vivem sem pressões e sabem aproveitar o “aqui e agora”.

Uma coisa que não podemos esquecer é que os avós de hoje em dia são pessoas de espírito jovem. Pessoas com boa saúde, bom estado físico e com vontade de experimentar, de viver e de continuar acumulando experiência.

O aprendizado de vida dos avós os ensinou o que é importante. Eles sabem que o legado que oferecem aos netos está acima dos bens materiais. O mais importante é deixar nos pequenos uma maravilhosa marca emocional positiva.

As crianças e os avós andam no mesmo ritmo. Eles apreciam como ninguém o momento, o “aqui e agora”. Assim, admiram como um inseto sobe em um flor. Como as gotas de chuva escorrem pela janela. Ou, por exemplo, como aquele pedacinho de chocolate derrete no copo de leite quente.
Tudo é mágico! Todos esses momentos são compartilhados com uma cumplicidade maravilhosa que concede às crianças um aprendizado único. O aprendizado da simples felicidade, sem artifícios nem falsidades.

Crianças amadas, crianças mais felizes e seguras

Esta é a chave e o segredo da equação: as crianças que são amadas, valorizadas e respeitadas se transformam em pessoas mais felizes porque desenvolvem um bom autoconceito e uma melhor autoestima.

Sem dúvida, os avós vão contribuir de maneira essencial nessa fórmula. São pessoas fortes e otimistas. Pessoas com sabedoria e discernimento capazes de inflamar os corações de todos aqueles que os rodeiam.

Assim, não duvide! Se seus pais são feitos desse material, desse afeto inoxidável e desse amor resistente, permita e favoreça esse vínculo, esse dia a dia no qual avós e netos compartilham momentos, detalhes, piadas e histórias das quais nunca vão se esquecer.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!