Texto publicado originalmente em Love and Marriage Blog e livremente traduzido e adaptado pela equipe Resiliência Humana.

“Mãe, brinca comigo?”

Aos seis anos, isso não me é mais solicitado. Nós jogamos muitos jogos, videogames e passamos bons momentos juntos fazendo coisas como arte ou leitura.

Mas jogando? Não é uma coisa que eles perguntam muito, quanto mais velhos, eles ganham.

Eu estava bem no meio de uma limpeza quando ela me perguntou se eu podia brincar com ela e eu sabia que tinha que parar o que estava fazendo e dar-lhe a minha atenção.

Porque quando uma criança precisa de você, ela não sai e diz: “Ei mãe, eu preciso falar com você. Eu preciso estar com você. Hoje foi um dia difícil”.

O que eles dizem é :”brinca comigo”.

A primeira vez que vi essa citação de Lawrence Cohen , senti isso. Eu sabia que isso era muito verdadeiro.

Embora eles estejam crescendo e se tornando mais inteligentes a cada dia, eles geralmente não conseguem expressar exatamente como estão se sentindo e quais são suas necessidades. É por isso que crianças com ansiedade não dizem que estão nervosas, dizem “meu estômago está doendo”.

Eles dizem coisas da maneira que eles sabem.

E o fato é, o tempo que eles estão pedindo não é muito.

Eles precisam de atenção total e exclusiva, as vezes, e se concentrar por um curto período de tempo.

Eu sabia que quando minha filha pedisse meu tempo, eu voltaria a terminar minhas tarefas em meia hora.

Ela precisava de mim e não era pedir demais…

Pensem nisso, seus filhos só precisam brincar um pouco com vocês!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!