Após a grande repercussão negativa da história trágica de Klara Castanho, os acusados de serem os protagonistas do vazamento se mostram arrependidos e tentam minorar os “danos colaterais”: Léo Dias, pessoa que soube diretamente dos fatos, tendo conversado com a Karla na ocasião em que tudo ocorreu, falou sobre os acontecimentos em diversas ocasiões, externando críticas severas e venenosas.

Foi ele quem teria relatado o caso a Antônia Fontenelle, responsável pela consumação da exposição pública do caso da atriz.

Hoje, Léo Dias publicou em seu site um pedido de desculpas:

“Ela foi covardemente exposta. Tenho consciência disso.

Errei ao publicar qualquer linha a este respeito. Mesmo que a revelação da história não tenha partido de mim, mesmo que Klara tenha escrito uma carta pública narrando a dor que sentiu com toda esta violência e que eu só tenha escrito sobre o assunto após a carta dela ser publicada.

Mesmo que eu soubesse de tudo desde o início, eu não deveria ter escrito nenhuma linha sobre esta história ou ter feito qualquer comentário sobre algo que não tenho o direito de opinar. Apesar da minha proximidade com o fato, reconheço que não tenho noção da dor desta mulher. E, por isso, peço, sinceramente, perdão à Klara.” (Metrópoles)

Antônia Fontenele, após ser execrada por disseminar críticas a Karla, acusando-a até mesmo de “abandono de incapaz, agora diz que quer ajudá-la e oferta ajuda:

Para saber mais sobre o caso:
Atriz Klara Castanho publica carta aberta e conta o que a fez entregar o filho para adoção

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!