Texto de Matheuss Vitorino

Depois de 20, 30 anos assistindo o Chaves, podemos perceber que Dona Clotilde está aí há décadas ensinando na prática, que não se deve persistir em algo que sabemos ser impossível de acontecer.

Nunca importaram quantos bolos, frangos assados e águas de colônia ela entregou, não importaram os cuidados, a dedicação exclusiva, o sentimento oferecido e implorado.

A verdade é que Dona Clotilde, nunca deixou de ser coadjuvante na sua própria história de amor.

A Bruxa do 71 é o retrato de ligações não atendidas, de convites ignorados, de mensagens visualizadas e não respondidas. Ela representa todas as pessoas que passam anos esperando aqueles amores que são sonhados sozinhos, rolando a noite na cama, deixando o sono sufocado junto a paz de espírito no travesseiro, noite após noite.

Quantos amores são deixados de serem vividos enquanto se insiste em bater na porta errada, sabendo que o impossível é o único que vai atender? Talvez ela pudesse ter se casado com o Sr. Barriga, roubado o professor Girafales, ou até aprendido a como é bom viver sozinha, morando em Acapulco.

É muito arriscado o caminho que alguns seguem na direção contrária de seus destinos, bem como é muito doloroso insistir em estradas erradas, quando é apenas um coração que caminha sozinho, descalço no asfalto. Nem sempre persistir significa vencer, e nem sempre amar significa confiar que uma hora vai dar certo, lá adiante..

Recalcular o que não faz questão de entrar na sua rota e jogar para o alto o que está querendo voar por ai, sozinho, pode ser a melhor alternativa a ser escolhida. Ninguém precisa do que diz “não”, e nem se sabe muito bem o que fazer com as coisas que não se encaixam…

O amor não é algo para viver monitorado.

Amor é liberdade de ir e vir, é tranquilidade de saber que o outro quer entrar, e ficar! No amor não existe isso de que tem que sofrer para ter, que tem que suar para conquistar. Ame alguém que você não tenha que puxar pelos braços.

Ame alguém que esteja, que saiba se deixar ocupar, que você não precise matar um leão para conseguir um abraço!

Não ame o que te cansa para ter, você precisará muito ainda do seu fôlego, vai por mim, não o desperdice no que já está fracassado e seus olhos ainda não resolveram enxergar. Há apenas um episódio que exibe as cenas do casamento entre a Bruxa do 71 e o seu Madruga. Mas, era apenas um sonho dela.

Na verdade, Dona Clotilde nunca se casou com seu Madrugada… só na sua ilusão. Você precisa de um amor que corresponda seus planos, que responda o que você plantou. Sonhos são lindos, mas pra alcançar a felicidade é necessário que você viva um AMOR ACORDADO! As vezes o Seu Madruga nem é um Homem… Pode ser uma situação… Uma Rotina… Um Hábito que se insiste mesmo sabendo que não há futuro.

Ame e seja amado, se libertando de todos os Seus Madrugas da Sua Vida!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!