Texto de Mª José Roldán

Um abraço diz mais do que mil palavras. Isso nos conforta e nos faz sentir bem. Um abraço faz-nos sentir compreendidos sem ter que falar, gratos que outro nos transmita o seu amor com este gesto de proximidade e o melhor de tudo, sentimo-nos acompanhados nos dias em que a solidão espreita para nos fazer mal. As crianças também precisam de abraços para terem um desenvolvimento emocional equilibrado e, portanto, você deve saber que abraços educam mais e melhor do que qualquer punição.

Sim, às vezes um abraço funciona melhor para uma birra ou mau comportamento do que uma punição punitiva. Por isso, antes de simplesmente punir uma criança, é preciso entender o que está por trás desse comportamento e o que realmente precisa para poder se sentir melhor e, assim, ter um comportamento de acordo com suas emoções.

A ponta do iceberg
O comportamento de uma criança é como a ponta de um iceberg. O que não se vê são todas aquelas emoções que você não sabe administrar. Você precisa da orientação abrangente de seu adulto de referência para se compreender, controlar essa emoção e saber como se comportar de maneira emocionalmente saudável.

O mau comportamento é uma forma de as crianças nos dizerem que não estão bem, mas que não sabem expressar isso de outra forma. Quer se trate de mau comportamento, birra, ataques a outras crianças ou irmãos, você tem que olhar o que está escondido na base do iceberg através da compreensão, empatia e, acima de tudo, conexão emocional. Evitar gritar, castigar ou ignorar esse comportamento a todo custo (o que seria ignorar que algo está acontecendo com a criança e não queremos ouvir).

Colocando palavras nas emoções

É essencial ensinar as crianças a colocar em palavras o que sentem para que, sabendo que emoção estão sentindo, seja mais fácil para elas administrar essas emoções. Se uma criança sabe o que há de errado com ela, ela saberá o que essa emoção significa e o que deve fazer para ser capaz de se sentir melhor sem ser dominada por aquela emoção negativa e fazê-la se sentir mal.

Para isso, você deve ensiná-lo a expressar o que sente, a se comunicar com você de forma assertiva e, acima de tudo, a entender que o que está acontecendo com ele é normal. As emoções são normais, mas comportamentos inadequados não podem ser tolerados e, portanto, você deve saber como expressar essa emoção de forma adequada.

Você tem que entender seu filho a partir do respeito, do amor e sempre, do acompanhamento. Pense primeiro em seu bem-estar emocional e físico, assim como em sua personalidade e quais são as ferramentas necessárias para poder educá-lo na disciplina positiva. Isso terá um impacto direto no seu futuro, e é por isso que o seu presente é tão importante.

As punições apenas geram medo e tensão, além de aumentar o ressentimento e matar a comunicação entre pais e filhos. Se você responder a uma necessidade emocional de seu filho com gritos ou punição, seu mau comportamento pode parar naquele momento, mas ele não terá aprendido a coisa certa. Ele só aprenderá a ter medo de você e que ameaças, gritos e más maneiras são a maneira normal de se comunicar com os outros quando você tem emoções negativas. É isso que você quer para seus filhos?

Os gritos, as ameaças, as punições … tudo isso vai aumentar a insegurança em seus filhos, eles vão se sentir assustados, estressados, não vão confiar em você nem em si mesmos, não haverá comunicação familiar, o vínculo afetivo será quebrado, a auto-estima de seus filhos vai se quebrar … tudo isso vai afetar sua felicidade e crescimento e desenvolvimento pessoal.

Que você não perca o abraço
Em vez de forçar a ruptura do relacionamento e do vínculo afetivo entre pais e filhos por causa das punições, é melhor que você se concentre em responder com um abraço e conectar-se com seu filho sem magoá-lo ou fazê-lo se sentir mal. Você deve acompanhar seu filho como seu guia emocional de respeito. Quando você o abraça, você não está aprovando seu mau comportamento, você faz algo mais importante:

Com um abraço você o acompanha emocionalmente e faz com que ele se sinta conectado com você e com a confiança de poder comunicar como ele é em todos os momentos.

Para isso e para que seu filho se sinta bem, você terá que ensiná-lo a mudar sua perspectiva e seu comportamento e, para isso, ele deve estar calmo e receptivo. O abraço é a melhor forma de o conseguir… porque se sentirá amado e salvo, sem stress e sem medo. Seus braços serão seu refúgio sempre que ele precisar e esse é o melhor presente que você pode dar a ele.

É importante que você nunca abrace seu filho contra a vontade dele. Caso ele não queira que você o abrace em algum momento, respeite-o. Acompanhe-o estando ao seu lado se ele quiser e diga-lhe que sempre que ele quiser, ele receberá o seu abraço para se sentir confortado e assim encontrarmos uma solução juntos para que ele fique melhor.

Bibliografia
J. Siegel, D., Payne Bryson, T. (2018) Discipline without Tears: Um guia essencial para orientar e nutrir o desenvolvimento mental de seu filho. Editora: DeBooks

Texto publicado pelo site Etapa Infantil e traduzido e adaptado pela equipe da Revista Pazes.

Imagem de StockSnap por Pixabay

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!