O relatório Webshoppers é o estudo de maior credibilidade sobre o comércio virtual brasileiro e a principal referência para os profissionais do segmento. E em sua edição número 38, revela que em 2018 o faturamento do comércio eletrônico aumentou 12% no primeiro semestre de 2018, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Ao todo 27,4 milhões de consumidores compraram no e-commerce nesse período, e destes, 4,5 milhões estrearam na compra online.

Para empresas já estabelecidas, é hora de investir em vender no meio digital e colocar a sua marca na palma da mão dos clientes.

E para quem deseja começar um negócio em 2019, e-commerce e ser o mais novo empresário do mundo digital.

Tem dúvidas?
Nesse artigo você vai descobrir os benefícios de começar seu e-commerce e ser o mais novo empresário do mundo digital.

O que é e-commerce?
E-commerce ou comércio eletrônico é toda e qualquer forma de venda de produtos e serviços por meio eletrônico, utilizando a internet.

São consideradas as transações feitas com computadores, tablets, notebooks e celulares, por meio de sites, lojas virtuais e aplicativos.

Atividades de e-commerce são realizadas tanto para pessoas físicas consumidoras finais (B2B), quanto para empresas intermediárias (B2B) ou ainda para o governo.

No próximo parágrafo você vai descobrir as principais vantagens de ter um e-commerce.

1) Mercado em ascensão e saída para a crise

O e-commerce é um mercado em ascensão e mesmo no auge da crise, em 2016, as vendas aumentaram em 7,4%.

  • Essa é uma tendência natural, que pode ser justificada por três fatores:● a chegada dos Millennials, jovens mais adeptos da tecnologia ao mercado consumidor;
    ● aumento da confiança e credibilidade nos meios online;
    ● significativa diferença nos preços finais das lojas online para o consumidor

Com estes fatores, o brasileiro se mostra cada vez mais confiante em comprar online, desde alimentos a equipamentos para indústria. E isso reflete nos índices.

O e-commerce no Brasil faturou 13% a mais no Natal de 2018, comparado com o Natal anterior. Na Black Friday, o aumento ultrapassou a marca de 23%.

2) E-commerce exige menos investimentos em relação uma loja física

Considere os seus custos ao iniciar um negócio físico. Com uma loja de sapatos, por exemplo.

Você precisará planejar, pesquisar um ponto, analisar o tamanho adequado às atividades da loja e circulação de clientes e etc.

Imóvel escolhido, é hora de investir na compra ou aluguel mensal, impostos e taxas como condomínio, IPTU, seguro, vistorias do imóvel…

E muito provavelmente ainda serão necessárias reformas para adequação à identidade do seu negócio.

Optando por um e-commerce, o investimento inicial consiste basicamente de um site com integração a meios de pagamento e sistema de gerenciamento de estoque.

Mesmo para quem vai desenvolver um e-commerce com marca e domínio próprios, contratando desenvolvedores, o investimento ainda é muito inferior ao de uma loja física.

E a diferença já pode ser investida em estoque de produtos ou reforçar o seu capital de giro.

3) Fácil implementação do seu negócio
Quando se tem uma loja física, em geral é necessário contratar uma equipe, treinar funcionários para atender os clientes e realizar vendas.

Outra equipe é necessária para cuidar da administração do negócio: pagamentos, controle de frequência, organização e limpeza da loja.

Em uma loja online, o cliente encontra as informações necessárias para realizar a compra sozinho, não sendo necessária nenhuma interferência direta no processo de compra.

Dependendo do volume de negociações do seu e-commerce, você ainda precisará de funcionários que realizem as atividades de suporte, mas ainda muito menos se comparado a uma loja física.

4)Venda pelo celular e mídias sociais
Com os avanços tecnológicos e de redes, o tempo médio de uso dos celulares dobrou nos últimos quatro anos.

Os brasileiros já são considerados “viciados” em celular e o tempo médio de uso é de mais de 4 horas e 48 minutos, conforme dados divulgados no site da Revista Exame, em 2017.

Cada vez mais o consumidor passa mais tempo e faz de tudo pelo celular, inclusive, compras.

Mídias sociais como Facebook e Instagram, que eram voltadas quase que exclusivamente para interação de usuários, mudaram agressivamente o posicionamento, aumentando a quantidade de anúncios exibidos e incentivando a criação de contas profissionais com perfil para vendas e até mesmo Marketplaces.

Esse é um mercado ainda pouco explorado e que pode trazer altos retornos, com baixo investimento.

5) E-commerce permite a venda 24 horas sem necessidade de presença humana

Você gostaria de ter um funcionário vendendo seus produtos 24 horas por dia? Quem não gostaria?

Com um e-commerce esse sonho torna-se realidade.

Em sua plataforma online, você terá a sua loja vendendo automaticamente, 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem a necessidade da sua presença.

Isso é possível e se torna simples com a integração de meios de pagamento e APIs de logística.

Essas integrações permitem ao comprador calcular todos os custos, gerar o pedido em sua loja e ter a data prevista para entrega.

E a seguir, nossa última dica, que prova de uma vez por todas que não há limites para um e-commerce.

6) E-commerce torna as vendas sem fronteiras
Quando vende online, sua empresa vence as barreiras impostas por uma negociação física. Dentre elas:

  • ● Vendas para todo o país e para o exterior: com seu e-commerce, sua empresa pode optar por vender para o país todo e até para o mundo. Não há limites sobre quem pode ver, se interessar e principalmente comprar o seu produto.
    ● Atender muitos clientes ao mesmo tempo: imagine que todas as mulheres do bairro resolvessem comprar em sua loja de sapatos. Na mesma hora. Por maior que fosse o seu espaço disponível, ele iria ficar superlotado. E sua equipe não conseguiria atender a todas, causando uma enorme insatisfação, podendo inclusive arruinar sua imagem perante o público. Em um e-commerce não há esse risco. Você poderá receber grandes fontes de tráfego, seus clientes podem permanecer comprando pelo tempo que desejarem e você terá a garantia de atender a todos de forma igualitária.
    ● Escolher e privilegiar os melhores clientes: sua vendedora não pode deixar um cliente sozinho para atender outro, jamais! Já em um e-commerce as sessões são privadas, cada cliente tem sua experiência única, no seu tempo. A vantagem para o empresário é que com o uso de anúncios segmentados, campanhas exclusivas e cupons de descontos, você pode criar formas de fidelizar e premiar os seus melhores clientes. E todo cliente gosta de ser reconhecido e valorizado por ser fiel à marca. E ainda incentivar mais clientes a fazerem o mesmo.
    ● Identificar um potencial cliente que já visitou a loja: como reconhecer um cliente que entrou, deu “uma olhadinha” e não comprou? Em sua loja física, impossível! Talvez se você der a sorte de contratar uma funcionária com excelente memória fotográfica. Entretanto, ela teria uma baixa acurácia em relação ao volume de clientes que pesquisam preços diariamente. Em seu e-commerce, essa é uma tarefa não só é possível, como é até mesmo bem fácil. Com o uso de scripts ou pixels o visitante é “marcado” por IP e será lembrado em campanhas de remarketing, no Google, Facebook, Instagram e outras mídias.

Se você está pesquisando para abrir um negócio este ano, o e-commerce apresenta muitas vantagens.

Quer saber como começar um e-commerce?
Defina a área ou nicho de atuação, faça o planejamento do seu negócio, contrate a plataforma ou um desenvolvedor web (a plataforma WordPress fornece centenas de modelos de lojas virtuais de fácil configuração). Depois é só começar a usufruir das vantagens do comércio online.

Gostou deste artigo? Comente abaixo qual a sua maior dúvida sobre e-commerce.

DIREITOS DAS IMAGENS:
Foto de tarjeta de visita creado por tirachardz – www.freepik.es
Foto de venta creado por freepik – www.freepik.es

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!