Conforme noticiado pela CNN, uma boa notícia indica que a solidariedade entre os povos da América Latina não está arrefecida, mesmo diante dos embates ideológicos de seus governantes.

É notícia internacional o colapso do sistema de saúde de Manaus, bem como a alarmante falta de oxigênio para suprir a demanda de internações por Covid-19 no Amazonas naquele estado.

Diante do caos, 107 médicos graduados na Venezuela se ofereceram para ajudar Manaus, informou neste sábado (16) o ministro de Relações Exteriores do país, Jorge Arreaza.

O ministro informou que 107 profissionais da Associação dos Médicos Formados no Exterior (Amfex) se apresentaram na sexta-feira (15) ao consulado venezuelano em Boa Vista, Roraima, colocando-se à disposição para auxiliarem no atendimento médico, na linha de frente contra o coronavírus, em Manaus.

São médicos de nacionalidade brasileira e venezuelana formados na Universidade de Caracas.

Em documento ao governador Wilson Lima (PSC) nesta sexta-feira, o atesta que “107 médicos residentes no Brasil estão à inteira disposição para prestar o apoio que seja necessário nessa luta contra o coronavírus e a favor da vida humana”.

A colaboração do país vizinho vem após, no último dia 14, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, orientar que sua diplomacia atendesse ao pedido do governo do Amazonas para liberar uma carga de oxigênio hospitalar da White Martins produzida no país.

Além dessa preciosa ajuda profissional, o ministro venezuelano também comunicou que informou ao governador do Amazonas que neste sábado os primeiros caminhões de cilindro com milhares de litros de oxigênio saem da fábrica do SIDOR, em Puerto Ordaz, para Manaus.

Wilson Lima, governador do Amazonas, afirmou que a Venezuela foi o único país a se prontificar a ajudar o estado na crise de falta de oxigênio.

Imagem de Helena Jankovičová Kováčová por Pixabay

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!