Por Nara Rúbia Ribeiro

Ser quem você é, não raro, incomoda muita gente.

Há quem se incomode com sua calma ou com a sua impaciência. Há quem se incomode com seu charme, ou com o seu jeito desajeitado de sorrir. Há quem se incomode se você está rico. Há quem se incomode não quer ficar rico.

Não importa o que você faça: a sua vida sempre será vidraça de muita gente cujo esporte predileto é jogar pedras.

Esse alguém desconhecerá a sua dor. Os seus percalços. Ele nada saberá da sua luta diária para sobreviver às desilusões que chegam em cascata. Nada questionará sobre os seus medos e pânicos diante da vida, da angústia quando percebe a sua esperança morrer, da lástima de ser incompreendido e atacado enquanto só o que quer é ser amado e acolhido.

Muitos deixariam de subir ao próprio pódio se em outro recinto estivessem a exibir as cenas do seu fracasso.

Estas pessoas merecem o nosso respeito, humanos que são, mas não podemos levar conosco o amargor das suas críticas. Atermo-nos ao seu sarcasmo ou permitir que o seu cinismo nos fira é dar a esse outro o controle sobre o nosso tempo mental, o domínio do solo das nossas emoções.

Penso que o mais prudente seria, quando percebermos que a crítica que nos chega advém do ódio gratuito e não do sincero desejo de nos auxiliar, serenamente pensar: “ele não merece a honra do combate”. Ignorar… Não contender.

O diálogo sério e honesto, a discussão de ideias, a contraposição de argumentos é honraria que devemos conceder aos nossos iguais ou superiores. Nunca a quem se inferioriza com ataques pessoais, inconsequentes e mesquinhos, na intenção de aniquilar-nos.

A esse respeito, lembro-me sempre de uma pequena história que registra a fala entre o mestre e um de seus discípulos. O discípulo pergunta: “Mestre, qual o maior segredo da felicidade?” e o mestre prontamente responde: “Não discutir com idiotas.” O discípulo fica indignado e pondera: “Mestre, o senhor tem certeza? Não. Não pode ser esse o segredo da felicidade.”, e o mestre responde: “Sim, meu aluno. Você tem razão.”.

Que meditemos, sim, na ponderação desse sábio mestre: “não discutir com idiotas”. Eles não merecem a honra do combate.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Nara Rúbia Ribeiro
Poeta em tempo integral.


COMENTÁRIOS