Estes dez filmes foram adicionados recentemente no catálogo da Netflix e valem cada segundo investido…

Raw (2016)
Uma das melhores surpresas do ano passado no gênero terror, somente agora acessível oficialmente para o público brasileiro. Na família de Justine, todos os integrantes trabalham com a área veterinária e são vegetarianos. No entanto, assim que ela pisa na escola de veterinária, acaba comendo carne. As consequências deste ato logo serão sentidas e chocarão toda a família.

O Barco – Inferno no Mar (Das Boot – 1981)
Obra-prima dirigida por Wolfgang Petersen, simplesmente um dos melhores filmes de guerra da história do cinema. Ambientado em um submarino, o nível de tensão é impressionante, tão eficiente hoje quanto no dia em que foi lançado.

Jab We Met (2007)
Comédia romântica indiana que transborda encantamento genuíno, enquanto as produções similares norte-americanas estão cada vez mais truncadas e previsíveis. Excelente opção para ver a dois.

Corrente do Mal (It Follows – 2014)
Uma metáfora para o momento perturbador na vida dos jovens em que o presente deixa de ser uma festa ininterrupta e o futuro começa a se mostrar amedrontador. As responsabilidades da maturidade tomam a forma de vultos inabaláveis, a constatação de que todo ato gera uma consequência.


A Garota Húngara (Félvilág – 2015)
A história de três mulheres – uma prostituta famosa, sua governanta e sua nova empregada – vivendo em Budapeste na década de 1910, cujo apaixonada, bizarra e complexa relação só pode levar a uma coisa: assassinato. Trama que aborda de forma elegante o ciúme, a inveja, com destaque para a qualidade das atuações e a direção intimista do húngaro Attila Szász.

Onde Está Segunda? (Seven Sisters – 2017)
Situado num mundo fragilizado pela superpopulação, onde famílias só podem ter um filho, sete irmãs gêmeas dividem os dias da semana para poderem conviver no mundo. Uma produção original Netflix que ganha pontos pela criatividade e ousadia no desenvolvimento da narrativa. Quanto menos você souber sobre a trama, melhor!


Awake, a Dream from Standing Rock (2017)
Documentário que conta a dramática história da resistência pacífica na reserva Sioux na Dakota do Norte que foi manchete no ano passado. Mas a forma visualmente poética como a obra se desenvolve é o real tesouro. A produção executiva é da jovem atriz Shailene Woodley, de “Snowden”.

Dhanak (2015)
Na Índia, uma menina e seu irmão mais novo moram em uma vila perto das dunas de areia. Eles perderam os pais em um acidente e vivem com os tios. O menino é cego, mas lida bem com a situação sendo ajudado pela irmã. Tocante obra plena em sensibilidade, excelente como introdução ao cinema indiano.


Como Funcionam Quase Todas as Coisas (Como Funcionan Casi Todas lassa Cos – 2015)
Celina trabalha em uma pequena cabine de pedágio situada em uma estrada no meio do deserto. Alguns dias antes do natal, seu pai morre e ela decide trabalhar vendendo enciclopédias para juntar dinheiro e viajar para Itália a procura de sua mãe. O argentino Fernando Salem, em seu longa de estreia, com baixíssimo orçamento, constrói um road movie terno sobre o amadurecimento perante o confronto com a solidão.

Agnus Dei (Les Innocentes – 2016)
Durante o fim da Segunda Guerra Mundial, na Polônia, uma enfermeira francesa descobre que as freiras moradoras de um convento vizinho foram estupradas por soldados invasores. Muitas delas estão grávidas. Apesar da ordem de prestar socorro apenas aos franceses, ela começa a tratar secretamente de todas as freiras e madres. O tema central é a ética, a intenção da diretora Anne Fontaine é incomodar, logo, o resultado só poderia ser muito acima da média.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Octavio Caruso

Escritor, crítico de cinema, ator, roteirista e cineasta, membro da ACCRJ (Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro) e da FIPRESCI (Federação Internacional de Críticos de Cinema).



COMENTÁRIOS