Por Holly Riordan

Eu fico me sentindo como uma namorada ruim sempre que invento uma desculpa para dizer que não estou no clima para sair de casa. Toda vez acompanho meu namorado nas festas, porque tenho horror a ficar presa em conversas com amigos de amigos. Toda vez fico quieta quando estou perto dos pais dele, apesar de saber que já deveria estar me sentindo confortável nesta situação.

Eu odeio saber o quanto demoro para me adaptar a algo novo. Eu não quero ser a garota que fica travada, caladona, a vagabunda.

Eu quero ser a garota que abraça a mãe dele e diz “Olá”, que conta piadas que divertem o pai dele, que não precisa de álcool no organismo para se tornar agradável ao lado dos amigos mais próximos dele – que também deveriam ser os meus amigos mais próximos, já que nos vemos com tanta frequência.

Eu me sinto uma namorada ruim porque minha ansiedade me impede de agir com leveza e me divertir.
Até mesmo quando estamos sozinhos, a ansiedade pode me dominar. E ressalto que me sinto mais confortável com ele do que com qualquer um que eu já tenha conhecido. Apesar de confiar nele. Apesar de não me importar quando ele me vê temerosa e vulnerável.

Ainda assim, não posso evitar de me sentir insegura.

Eu me sinto uma namorada ruim porque começo brigas por motivos tolos. Fico raivosa pela forma como ele me olha, ou por como ele fala comigo. E fico na minha quando somos atendidos por uma garçonete de fala mansa, daquele tipo que instantaneamente cativa as pessoas ao redor – exatamente porque eu gostaria de ser como ela e, pior, sinto que é o tipo de garota que ele gostaria de namorar.

A minha ansiedade faz com que eu me sinta uma namorada ruim, porque sei que ele quer que eu admita quando algo me aborrece, mas eu prefiro fingir que está tudo bem. Eu minto para ele porque é mais fácil para mim.

Eu estou tão acostumada a esconder meus sentimentos, que frequentemente atuo uma normalidade que não estou realmente experimentando. É difícil me acostumar a abrir o jogo com alguém. É difícil compreender que alguém goste de mim por quem eu sou, mesmo quando estou tendo pensamentos irracionais que fariam qualquer pessoa em minha vida se sentir desconfortável.

A minha ansiedade faz com que eu me sinta uma namorada ruim, porque eu arruíno encontros por pensar demais. Eu me preocupo com o futuro, sobre os rumos da relação, questiono se tomaremos os caminhos certos. Eu me preocupo com tudo que pode ser motivo de preocupação. Eu sou incapaz de me divertir e aproveitar um bom momento, mesmo quando estou sentada do lado do amor da minha vida.

A minha ansiedade faz com que eu me sinta uma namorada ruim, porque é isto que a ansiedade faz. Ela me faz duvidar de mim mesma. Ela me faz ter ódio do meu reflexo no espelho.

A minha ansiedade faz com que eu me sinta uma namorada ruim – apesar de que meu namorado vive me lembrando que estou errada em pensar assim. Ele sempre diz que tem sorte por ter me encontrado. Ele afirma que quer ficar comigo para sempre, esteja eu sofrendo pela ansiedade ou não.

Este texto foi originalmente publicado em inglês em Thought Catalog, traduzido e livremente adaptado pela equipe da Revista Pazes.

Créditos d aimagem de capa Antonio Guillem/ via Shutterstock

 

FONTEThought Catalog
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Revista Pazes

Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!



COMENTÁRIOS