Segundo estudos de uma Universidade francesa, as pessoas que sofrem de ansiedade têm uma maior capacidade de perceber e interpretar emoções e estados mentais do que outras pessoas, esta capacidade está intimamente ligada aos níveis de empatia e inteligência delas. Essas pessoas geralmente têm habilidades sócio-cognitivas únicas e uma grande compreensão do estado de espírito emocional, além de uma inteligência acima do normal. Em outras palavras, aqueles que sofrem de ansiedade são capazes de experimentar mais concretamente as emoções das pessoas ao seu redor, são mais sensitivos.

Um estudo recentemente publicado pela Universidade de Lakehed descobriu que as pessoas que tinham transtorno de ansiedade obtiveram maior sucesso em testes psicológicos ligados à inteligência verbal. Eles fizeram alguns testes de linguística e os resultados foram escores muito mais altos do que as pessoas que não sofriam de ansiedade.

Outro estudo publicado no European Journal of Psychology (Jornal europeu de Psicologia), descobriu que os participantes altamente ansiosos eram mais rápidos em detectar ameaças de perigo e reagir rapidamente. A seguir está o resultado desse estudo:

A teoria de Defesa Social (Ein-Dor, 2010) propõe que em situações de risco pessoas que têm um alto grau de ansiedade detectam mais rapidamente a presença de ameaça e alertam as outras pessoas mais rapidamente sobre o perigo e a necessidade de proteção. Seguindo essa linha de raciocínio, descobrimos que os participantes com um alto grau de ansiedade eram também menos propensos a se atrasar quando precisavam alertar alguém sobre alguma coisa.

Isto pode ser explicado pelo fato de que os indivíduos ansiosos tenderem a ser mais altruístas que os demais. Na natureza, os animais que são capazes de detectar e reagir a ameaças mais rapidamente são os mais propensos a sobreviver. Então, será possível que a ansiedade seja realmente uma vantagem evolutiva? A ansiedade poderia agir como uma ferramenta biológica que ajuda a resolver problemas, evitar ameaças e detectar perigos ?

Um estudo do Centro Médico SUNY Downstate, em Nova York descobriu que os participantes que sofriam de casos severos de ansiedade obtiveram uma pontuação mais alta nos testes de inteligência (testes de QI). Isso não é uma surpresa, haja vista que essas pessoas estão constantemente analisando, formulando idéias e processando informações. Como afirma o Dr. Jeremy Coplan em seu estudo Apesar de a preocupação excessiva ser geralmente uma característica negativa, ter uma alta inteligência é uma característica positiva, então a ansiedade pode nos ajudar a evitar situações perigosas. Assim temos mais uma prova de que as pessoas com “transtornos mentais” são realmente em média mais inteligentes do que o geral. Têm uma maior capacidade de mentalização, empatia e consciência psicossocial.

Algumas pessoas que às vezes são consideradas “loucas” por terem transtornos de ansiedade ou outros transtornos mentais, obtiveram um desempenho melhor em alguns testes de inteligência e parecem ter uma vantagem evolutiva por serem capazes de detectar ameaças antes das outras. Será possível que a ansiedade social e o transtorno de ansiedade generalizada não sejam algo ruim, mas o resultado de intuições fortes, interpretações mais precisas e uma forte capacidade de detectar perigo? Bom, esses estudos científicos nos levam a refletir sobre esta questão e lançam uma luz sobre as características positivas da ansiedade. Então se você tem ansiedade, não tenha medo de sentir o que sente e não deixe que ninguém o chame de louco, só você sabe o que passa e talvez o que chamamos de distúrbio possa ser uma benção.

TEXTO DESteven Bancarz
FONTEEsprits cience metaphysiques
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!


COMENTÁRIOS