O padre Júlio Lancellote trabalha, há mais de 30 anos, com pessoas em situação de rua na cidade de São Paulo.

Há cerca de 3 semanas, internautas passaram a atacá-lo com palavras desrespeitosas e ameaçadoras nas redes sociais:”morte ao padreco” e “mandem esse padre pro inferno e depois os seus seguidores”.

Segundo o padre: “O discurso de ódio sempre existiu. Mas esses intolerantes, antes, ficavam restritos, não se impunham. Nesse momento que estamos vivendo, sinto que essas pessoas se sentem livres, não tem mais o menor pudor e se sentem legitimadas para falar o que bem entenderem”.

Ocorre que o trabalho do padre desagrada a muitos. Ele é um homem destemido e não se deixa abater diante de situações complexas, nas quais tenha que questionar e até confrontar agentes políticos, criticando com veemência a forma com que moradores de rua são tratados na grande São Paulo: com descaso, violência muitas vezes gratuita e total inobservância aos seus direitos sociais e humanos.

Padre Lancelloti

Ao agir assim, na defesa dos desvalidos e marginalizados, Lancelloti fez muitos inimigos ao longo da vida.

Fica aqui o nosso apelo para que as autoridades constituídas possam agir, neste caso, com celeridade e eficiência especiais, uma vez que se trata de um grande defensor daqueles que, sem vez, sem voz, não raro quase sem vida, perambulam pelas ruas de São Paulo.

Força ao padre Lancelloti, um homem que ama a Deus por intermédio do auxílio e da proteção aos miseráveis e vencidos.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!


COMENTÁRIOS