A queniana de 27 anos, Nice Nailantei Leng’ete, encontra-se na lista das pessoas mais influentes do mundo, conforme publicado Revista Time.

Ela tem dedicado a sua vida a ajudar adolescentes quenianas a se esquivare do chamadoo “female cutting”, também conhecido como mutilação genital feminina (MGF).

Em seu discurso, a ativista se mostrou emocionada ao descrever como escapou da mutilação aos 8 anos de idade. “Eu escapei fugindo”, narrando, em seguida, que ela e sua irmã se esconderam em uma árvore até a cerimônia terminar.

Para muitas comunidades africanas, a mutilação genital feminina é um rito de passagem. No ritual, a menina, com 8, 10 anos de idade, tem o clitoris parcialmente retirado com uma lâmina, não raro sem qualquer cuidado com higiene e jamais com anestésico.

Nice já conseguiu com que 15 mil meninas fossem poupadas desse rito de passagem. E tem tentado introduzir em sua comunidade, ritos substitutivos a esse. Ela também luta por causas correlatas, como o fim do casamento infantil, ainda muito usual em sua comunidade.

Ao falar sobre a sua luta, afirma: “Eu vi dor. Eu vi a morte. Desde que eu tinha 7 anos de idade, eu costumava assistir a essas cerimônias na minha comunidade com meninas submetidas a MGF. Eu vi minhas amigas saírem da escola e se casarem. E eu queria continuar minha educação”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!


COMENTÁRIOS