A verdadeira arte de viajar

A gente sempre deve sair à rua
como quem foge de casa

Como se estivessem abertos diante de nós
todos os caminhos do mundo.

Não importa que os compromissos,
as obrigações, estejam ali…

Chegamos de muito longe,
de alma aberta e o coração cantando!

Mario Quintana, in: A cor do invisível, 1989

COMPARTILHAR
Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!

COMENTÁRIOS