“Todo mundo cabe no mundo”: participe conosco dessa linda mobilização social

Sou Odette Castro e tenho duas filhas. A mais nova, Beatriz,28, tem uma síndrome chamada Rubinstein-Taybi. Marcelo Xavier é mineiro, publicitário, escritor, artista e tem Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

Era carnaval. Marcelo criou o bloco “TODO MUNDO CABE NO MUNDO”. Um bloco igualzinho a tantos outros que surgiram aqui, em BH. Com trem elétrico, fantasia, cerveja e muita gente feliz.

Sempre participo de movimentos inclusivos. Beatriz participa de tudo que acontece no mundo. Mas naquele bloco, pela primeira vez, ela coube de verdade no mundo. Ninguém olhava ninguém, todos dançavam com alguém. Quarta-feira? Não vem….

Congelei este dia.

Minha amiga, Juliana Sucucato, tem uma sorveteria, a Easy Ice., com uma árvore na porta.

E aconteceu que, na quarta-feira, depois do carnaval, o Brasil acinzentou-se. Só tristeza e melancolia. Amigo não sendo mais amigo, irmão desconhecendo irmão. Foi aí que a imagem congelada tomou forma. Resolvemos usar o nome do bloco do Marcelo, TODO MUNDO CABE NO MUNDO, para resgatar o respeito, o amor, a amizade e o sim às diferenças da vida. Convidamos alguns formadores de opinião para enfeitar a árvore, em frente à sorveteria. Entregamos a eles peças de louça bem simples – pratos, xícaras, biscuits – para que cada um se colocasse no mundo, através de uma peça.

O evento está crescendo e todas as pessoas estão convidadas para levar um mimo para colocarmos na árvore (Rua Professor Morais 476 loja 02 Funcionarios/BH). Será um marco da nossa luta de inclusão das pessoas no mundo; para que não nos percamos mais no ódio, na intransigência, na discórdia. Domingo, quando maio chegar, nossa árvore estará falando de amor. O amor que falta no mundo. E o amor cabe sim no mundo!

E por isso resolvemos desafiá-lo a convidar os seus amigos para que enfeitem uma árvore. Sugira que cada qual leve algo que o simbolize, que revele uma verdade do seu coração e pendure na árvore. E verão que na árvore (no mundo) cabe sempre o melhor de cada um de nós.

Odette Castro, design de eventos e escritora – autora do livro “Rubi” que retrata a sua desafiadora convivência com a filha caçula, portadora da Síndrome de Rubinstein-Taybi

COMPARTILHAR
Odete Castro
É design de eventos e escritora – autora do livro “Rubi” que retrata a sua desafiadora convivência com a filha caçula, portadora da Síndrome de Rubinstein-Taybi



COMENTÁRIOS