A Síndrome de Peter Pan e os adultos que se recusam a crescer

1-Você ouviu falar sobre a síndrome de Peter Pan?

A Síndrome de Peter Pan se caracteriza por um conjunto de comportamentos apresentados por um homem, que não sabe ou não pode renunciar ser filho para se tornar pai, ou seja, são homens que não querem deixar de ser crianças. Sentem-se e vivem como crianças e esperam ser entendidos pelos demais.
Ele é um eterno menino. Por mais que a idade avance, recusa-se a envelhecer e continua agindo como um garoto, tanto na sua vida profissional quanto pessoal. Sua morada é a Terra do Nunca, um eterno playground.

2-Quais as causas?

Se há homens que entraram nessa, é porque foram levados pela sociedade ou pela família, muitas vezes por ambos. A família também contribui para formar homens imaturos. Com superproteção e excesso de permissividade, muitos filhos nascidos depois dos anos 80 formaram gerações em que o homem foge dos compromissos da vida adulta. Basta ver que, a cada ano que passa, aumenta o número de caras que postergam a saída da casa dos pais, emendam cursos universitários, não buscam o mercado de trabalho, não têm projetos de vida e são incapazes de levar um relacionamento amoroso. Superproteção dos pais e valorização excessiva da infância podem ser causadoras do problema.

3-Como é o comportamento de quem manifesta essa síndrome?

Seu comportamento continua sendo como o de um adolescente. Apesar de seu sorriso quase eterno e se tratar de pessoas muito divertidas e com imensas vontades de desfrutar de todo os aspectos da vida, por trás essa aparência se esconde alguém tremendamente inseguro com um terrível medo à solidão. A inseguridade também se plasma no campo afetivo.
A pesar de uma aparente segurança, são pessoas que precisam grandes doses de afeto e a necessidade de uma mulher ao seu lado que o possa oferecer. Pese a esta dependência, quando o relacionamento se torna em algo mais sério e começa a requerer doses cada vez mais altas de compromisso e responsabilidade, se assusta e acaba produzindo a ruptura do casal.
Isto é uma das causas de que troquem continuamente de parceira, procurando inclusive, garotas mais novas que representem menos planos de futuro e ao mesmo tempo possam se contagiar da sua imaturidade.
Procuram sempre a culpabilidade de tudo o que acontece ao seu redor, nos outros, sem que nunca se sintam realmente parte do problema, e nem sequer da solução.

4-Qual sexo mais frequentemente é acometido?

A Síndrome de Peter Pan se manifesta por meio de traços da personalidade do indivíduo, que se nega a crescer e é bem mais frequente nos homens do que nas mulheres.

5-Quais são as características de quem apresenta essa síndrome?

Independentemente de sua idade, seguem atuando e se sentindo como adolescentes. Seria, por simplificar, ter um corpo de adulto com uma mentalidade de criança. O problema ocasiona queixas emocionais, como baixa autoestima: pois o quer tudo, não quer renunciar a nada do que tem nem está disposto a pôr nada de sua parte para conseguir as novas metas e objetivos.
Não obstante, se queixa e joga sempre a culpa aos demais. Não se sente parte do problema ou dificuldade. Por um lado, está o fator social: com o alongamento da expectativa de vida, os tempos em que as pessoas alcançam diferentes metas têm se retrasado; por isso, agora se considera que a adolescência pode durar até os 30 anos.
Por outra parte, aparecem os motivos pessoais: as pessoas que “não querem crescer” veem como vantagens o fato de não assumir compromissos nem responsabilidades, ocorrendo uma valoração exacerbada da juventude.

6-Quais são os sinais dessa síndrome?

A síndrome de Peter Pan se caracteriza, portanto, pela imaturidade em certos aspectos (psicológicos, sociais, problemas sexuais), além de apresentar comportamentos narcisistas, de dependência, irresponsabilidade, rebeldia etc. Acima de tudo, são homens que temem a solidão, o abandono e o fracasso. Costumam ter mais de 30 anos e irradiam bem estar no primeiro momento em que os conhecemos. A irresponsabilidade é uma de suas características principais, que exercem colocando a culpa nos demais e faltando a compromissos. No âmbito dos relacionamentos amorosos, não se esforçam para fazer parte de um casal maduro e estável.

7-Qual é o tratamento?

O caminho mais eficaz para o tratamento da Síndrome de Peter Pan é a psicoterapia. Nesse processo, o trabalho é direcionado para o autoconhecimento, para o ato de conseguir passar pela adolescência. O tempo de tratamento é bem relativo e vai depender das respostas de cada paciente.

TEXTO DEDra. Fabiane Saraiva do Nascimento
COMPARTILHAR
Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!



COMENTÁRIOS