Singularidade ou alumbramento – por Eduardo Tornaghi

Eduardo Tornaghi - Foto Rodrigo Anjos

Eduardo Tornaghi é poeta. Ser autêntico, de inclinação insofismável à liberdade. Aos 65 anos de idade, após perceber-se, há anos, no caminho em que as pessoas são vistas como produtos e rotuladas de acordo com a sua utilidade existencial, o ex-galã da TV Globo vive em poesia e tem a honrosa missão de, ao espalha-la, dela auferir o seu sustento.

O ator ganha dinheiro recitando poesias, vendendo livros e dando aulas de interpretação ao ar livre, em um quiosque da praia do Leme, na capital fluminense.

A sua poesia é diga de ser ouvida com reverência e apreciada como quem degusta uma iguaria.

Confira.

COMPARTILHAR
Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!



COMENTÁRIOS