Há aqueles que são mestres de ofício.
Pessoas cuja vida e a lida,
se confundem o saber das crianças.

Mas há mestres que são sacerdotes.
Estes, nem mesmo as chamas da morte,
ou o maior dos sacrifícios
os afastariam da sua missão.

Viver por seus alunos é a glória de um Mestre.
Morrer por eles, morrer com eles,
é unir-se, em essência, ao Mestre Maior.

Vá em paz, professora…
Eu sei bem o que se passou.
Você percebeu que seus meninos
precisavam da sua professora nos céus…
Foi isso, não foi?

Com quem eles brincariam de roda,
a quem recorreriam
se não entendessem a lição da morte?

Mostra a esses pequeninos, professora,
que diante da dor, da injustiça
ou da miséria humana,
um mestre que ama
é mais forte.

Nara Rúbia Ribeiro

Esta é a singela homenagem da Revista Pazes à professora Helley Abreu. Ela faleceu ontem quando tentava salvar os seus alunos de um atentado no qual um senhor jogou combustível e ateou fogo em dezenas de crianças em uma creche, em Janaúba, Minas Gerais.

No mais, por toda a tristeza que nos invade diante desse incidente lamentável, faltam-nos palavra.

P.S:
Abaixo, a imensa delicadeza de Genoveva Coelho, que tão carinhosamente mandou-nos, há pouco, o card com o poema.
Gratidão pela remessa!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Nara Rúbia Ribeiro
Poeta em tempo integral.


COMENTÁRIOS