Prefeita sul-africana concede bolsas de estudos. Requisito para as meninas: ser virgem

“Permanecer virgem é minha única chance de conseguir educação, pois meus pais não podem pagar minha escola”, afirma Thubelihle Dlodlo, de 18 anos, que vive no vilarejo de Emcitsheni, na região rural de KwaZulu-Natal, na África do Sul.

Ela ganhou uma bolsa de estudos condicionada a uma exigência nada comum: só poderá manter o benefício enquanto provar sua virgindade.

Dlodlo tem que se submeter a testes de virgindade, mas diz que não se importa com isso. “Testes de virgindade são parte de minha cultura, não é uma invasão de minha privacidade. E fico orgulhosa depois que confirmam minha pureza.”

Na África do Sul, a idade em jovens são considerados aptos para consentir com o sexo é de 16 anos. Há ainda uma regra que tornam ilegais as relações sexuais entre aqueles que têm entre 12 e 16 anos.

Mas Dlodlo, por exemplo, já passou dois anos da idade mínima para manter relações. E ela está apenas começando seus estudos universitários.

Ativistas afirmam que os testes de virgindade a que Dlodlo e outras estudantes têm de se submeter são uma invasão da privacidade das jovens, e que não é justo ligar chances de educação e sexo dessa forma.

Segundo ativistas: “O que é realmente preocupante é que eles estão se concentrando apenas na menina, e isso é uma discriminação. E não tratam de problemas como a gravidez na adolescência e as taxas de infecção pelo HIV (vírus causador da Aids)”.

Para conhecer mais sobre o assunto, ler BBC Brasil.

FONTEBBC Brasil
COMPARTILHAR
Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!



COMENTÁRIOS