“Visto na epiderme a gestação nua da raça” – Hirondina Joshua

Hirondina Joshua, jovem estudante e poeta moçambicana, prepara-se para lançar o seu primeiro livro de poesias. Ela é uma das colunistas da Revista Pazes e presenteou-nos com alguns dos poemas que farão parte do livro.

Retratos

(À minha mãe)
Nasci antes deste tempo…Antes de mim.
Olha como esta minha grafia circunda e circula em ti…Como te a roubo. Mãe…Vê em magia como isto se sucede? Como isto pula e pulsa gotejando em silêncio o sangue deste motor a veia da vida de um coração talvez impossível de descobrir. E tu sabes que eu às vezes olhos não tenho para alcançar certas coisas, coisas certas e invento-me em águias transcendo-me em seus olhos, tudo porque nessas poucas vezes em que me transfiguro descubro-me mais em ti.
E não me importa nada. Nada me importa. Nem o que se vê e nem o que se não pode ver. Olha… vê como parecidas somos e diferentes também. Olha como a fundo nos olhamos nestes corações alheios que carregamos como trouxas e que nos pesam mas no mesmo instante nos curam das eternas mundanas que temos dentro.
Mãe será que algum dia iremos partir de nós?
***

Hegemonia

O voo pode ser feito pelas mãos
pelos braços
pés
ou cabeça…
o voo essencial
não tem corpo
pode não respeitar
o medo.
O voo assim a fechar o círculo…
parece
transparente
nu
conhece o céu
a retina, e sua pupila
vibra na boca do coração de uma criança.
O voo pode ser feito pelas mãos…ou pelos dedos…
***

Visto

Visto
na
epiderme
a
gestação
nua
da raça.
***

COMPARTILHAR
Hirondina Joshua
É uma jovem escritora, moçambicana. Tem poemas publicados em várias revistas, jornais e blogs nacionais e internacionais. Teve Menção Extraodinária no concurso mundial de poesia. Brevemente irá publicar seu primeiro livro de poemas.



COMENTÁRIOS