Filha faz texto emocionado sobre pai que “não sabe escrever” e viraliza na internet

Micarla Lins, ao receber um texto no qual o seu pai pedia desculpas por não saber escrever, em desabafo emocionado, escreveu um texto que viralizou na internet.

No texto, a jovem destaca o quão frequente é ver a crítica e a zombaria quando as pessoas se deparam, especialmente nas redes sociais, com pessoas que não sabem escrever corretamente, contudo questiona: “quantas vezes você já dispôs a ler pra alguém? Quantas vezes você já se ofereceu pra ensinar alguém a escrever?”

A reflexão nos leva a ponderar: será que aquele que está escrevendo de modo totalmente equivocado teve a oportunidade que tivemos de aprender a redigir de acordo com a “norma culta”? E mais: Será mesmo que as zombarias e as críticas severas contribuirão de algum modo na construção de uma sociedade mais inclusiva e solidária?

Abaixo, a postagem da conversa entre pai e filha e o texto redigido por Micarla:
papo-no-facebook

“Hoje li a seguinte frase: ” Saber escrever direito não é inteligência, é privilégio. ” e isso me fez relembrar da seguinte conversa com meu pai, acho que nunca chorei tanto na vida quando recebi um pedido de desculpas dele por não saber escrever, meu pai não teve uma vida nada fácil hoje em dia ele só sabe ler, mas não sabe escrever quase nada e isso me faz lembrar de todas as vezes que ouço piadas por coisas que estão escritas de maneira “errada” quantas vezes você já dispôs a ler pra alguém? Quantas vezes você já se ofereceu pra ensinar alguém a escrever? Então ao invés de acharem graça toda vez que virem algo escrito errado se lembrem de um pai pedindo perdão a filha por não conseguir falar com ela pois não sabe escrever. Que eu consiga usar do meu privilégio pro meu pai não precisar passar por esse tipo de piada. To cansada já tá na hora de vocês aceitarem que nem todo mundo tem as mesmas oportunidades.”

COMPARTILHAR
Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!



COMENTÁRIOS