Segundo Karnal, vivemos numa “sociedade falocêntrica”

Nesta semana, soubemos de uma ocorrência na África do Sul em que a prefeita de determinada cidade concedia bolsas de estudo aos jovens. Para que a meninas fossem contempladas teriam, contudo, que preencher um requisito: comprovar a sua virgindade (veja a matéria).

Esta fala de Leandro Karnal demonstra exatamente isso. Vivemos numa sociedade mais que masculina. Vivemos em uma sociedade cuja estrutura do pensamento é masculino, onde “todos” consideram, lá no fundo, o masculino superior ao feminino.

Com isso, a sociedade perde por valorar mais a contenda que a conciliação, desmerecendo, sempre, os atributos havidos como femininos.

COMPARTILHAR
Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!



COMENTÁRIOS