“O fundamento da verdadeira ética”: fina flor da sabedoria oriental

O FUNDAMENTO DA
VERDADEIRA ÉTICA


De mil benefícios goza um povo
Quando não se fala mais em ser
virtuoso nem santo.
Verdadeira reverência e amor sincero
Medram em uma sociedade
Em que o direito e a moral deixam de ser prescritos.
A ordem não reina em uma sociedade
Onde o interesse determina o agir.
Esses princípios não podem ser prescritos,
Mas devem ser vividos.
Somente onde eles são vivenciados
É que ajudam os homens.
A ética genuína só existe
Onde o homem vive de dentro da sua fonte
E age pela pureza do seu coração;
Onde a genuinidade do seu ser
Se revela em atos desinteressados
E isentos de desejos.

Explicação filosófica de Humberto Rohden:

Sempre de novo volta Lao-Tsé ao princípio básico de que os atos, que fluem
pelos canais do ego humano, devem receber as águas vivas da fonte do Eu
cósmico; que nenhum homem pode ser fonte, mas todos funcionam como
canais, que devem manter-se livres e desobstruídos de qualquer impureza
egóica e estar firmemente ligados à Fonte cósmica. É a eterna repetição do
primeiro mandamento da mística: “Amarás o Senhor teu Deus…”, e do segundo
mandamento da ética: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

COMPARTILHAR
Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!



COMENTÁRIOS