Amizades verdadeiras não te sufocam, apenas te abraçam

Um dia de folga é muito bom, mas reencontrar um amigo de longos anos, andando pelas ruas e disposto a um dedinho de prosa é perfeito demais. Aquele abraço que diz tudo: saudade verdadeira e alegria em te rever. Isso é melhor do que uma taça de Proseco para relaxar e melhor do que pizza com fome no domingo a noite.

Um reencontro merece celebração, mas quando é de improviso, o que vale é colocar a conversa em dia em poucos minutos e uma caminhada mais lenta para as gargalhadas. Não existe nada melhor do que se sentir a vontade ao lado de alguém, se sentir apreciada e feliz.

Aquela meia hora, me fez pensar em como nos distraímos com os dias sem dar atenção as amizades, e deixamos de dar atenção em quem é uma delícia de estar junto. Há pessoas que não precisamos delas o tempo todo, porém elas se fazem necessárias naquele momento que estamos juntos. Criamos diferentes elos de amizades, desde as superficiais até as mais íntimas, encontrando sempre com elas ou passando meses sem qualquer notícia. Para ser bom e verdadeiro não precisa contato direto todos os dias, não se faz necessário preocupar diário, mas é importante se sentir livre e amada quando estão juntos.

Esse meu amigo, que fiquei meses sem vê-lo mesmo morando na mesma cidade, temos um carinho mútuo. As relações deveriam ter menos cobranças, mais envolvimento e dedicação. Relacionar não implica em estar com alguém o tempo todo, adivinhando e fazendo as vontades, é mais do que isso, é estar entregue um ao outro por inteiros. Infelizmente, confundimos amor e gostar por posse. Queremos posse dos amigos, dos familiares, dos colegas, dos relacionamentos e nos esquecemos que o deixar livre é o que dá vida nas relações e transformam sentimentos em incondicional.

Quando apossamos de alguém, logo essa relação se esvazia, porque nascemos com sentimentos e vontades únicos. Não podemos colocar na outra pessoa nosso jeito de ser, de querer. Não podemos pressionar ninguém para que sejamos exclusivos. Não precisamos amarrar as pessoas ao nosso lado, exigindo que elas façam tudo o que queremos e mais um pouco. Não podemos exigir exclusividade, porque isso cansa qualquer um e não significa nada além de possessão e é doença. Ninguém é exclusivo, nem marido e mulher, porque todos são únicos e independentes.

Claro, a dependência existe, no entanto não acredito em felicidade quando alguém se torna refém do outro ou propriedade. Desconfie se alguém grudar em você e começar a cobrar, porque é bom demais para ser problema no futuro.

Amizades e amores de verdade, não te sufocam, não cobram nada e nos deixam livres para voarmos e voltarmos. São nosso de fato sem qualquer pressão ou imposição. Te amam na distância física e lembram de nós todos os dias em pensamentos e emoções. Te oferecem carinho e reciprocidade quando te abraçam e te olham. Prestam atenção na sua conversa e falam tudo o que pensam. Não te exigem atenção e muito menos te massacram com porques e não sugam sua atenção e carinho.

Amizades e amores de verdade se entregam em conversas mesmo que no meio do dia, com um sol já implorando pelo outono, renascem em nós bem-estar em estarmos vivos e nos colocam sorriso na alma em meio a tantas turbulências e correrias diárias.

Um reencontro verdadeiro de amigos em um dia de folga no meio do dia, é melhor do que chocolate meio amargo que amo de paixão.

TEXTO DESimone Guerra
FONTEEntre palavras e sentimentos
COMPARTILHAR
Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!



COMENTÁRIOS