A alma é um lugar mágico, onde se criam forças sonhadoras

Fotografia de Sergey Piltnik

A centopeia, que animal fantástico! Tão pequeno e tão cheio de detalhes… São cem pés, enfileirados, um atrás do outro. Aparentemente diríamos: “Fantástico? Que exagero”! Mas não há exageros na natureza – os cinquenta pares de pés, sincronizados juntos numa mesma direção tem um propósito, todos unidos a um corpo só, um objetivo só.

Nós podemos brincar que somos centopéias. Ao invés de cem pés, apenas dois. Mas com um mesmo objetivo. Ou também podemos nós ser apenas um pé da centopéia. Seriam cem pessoas para compor a estrutura de um corpo. E o que seria o corpo? Um sonho, um objetivo comum que faz com que todos andem unidos caminhando numa mesma direção. Precisamos sonhar um sonho comum para mover o mundo, senão fica tudo uma grande desordem! Se cada pé da centopeia decidisse andar por conta própria para uma direção a escolher, a centopéia certamente não sairia do lugar.

Os homens precisam caminhar juntos. Afinal, “uma andorinha só não faz verão”.

A bondade, a esperança, a sede por um mundo melhor são denominadores comuns de muita gente e faz com que todos caminhem aliados. Claro, há sempre os que andam em outras direções bem diferentes… Mas quantos bichos há num mesmo jardim, além da centopeia?

O sonho é um fio que liga e une as pessoas. Elas se transformam em busca dele.

Sonhar é almejar, buscar… Se eu sonho em velejar, preciso aprender a velejar e também juntar dinheiro para comprar meu veleiro. Assim todos que sonham velejar aprendem como manejar o veleiro, quais são as regras, legislação e o que fazer em horas de tempestade. Dessa forma vários veleiros podem se encontrar no mar ao mesmo tempo sem problemas.

Uma pessoa para sonhar precisa deixar o sonho penetrar no corpo dela e moldá-lo, para que seu corpo comece a caminhar em direção do sonho. Há sonhos que leva anos para concretizar. Se não estiverem cravados na alma da pessoa, ela desiste ao longo da jornada.

Tudo na vida é assim. Precisamos permitir que nossa alma seja tocada pelas coisas que nos rodeiam, para decidirmos ir junto com elas ou nos afastar de vez.

Da mesma forma que sonhos precisam estar na alma para que tenhamos força de enfrentar o que for preciso para buscá-los, muitas coisas nos marcam amargamente a alma para sabermos que não queremos correr atrás delas. Modelos indigestos, falsidades e maldades muitas vezes se apresentam com cara de morango saboroso. É preciso lembrar do gosto amargo que a alma sentiu para resistir à tentação do morango.

Nossa alma nos diz o quanto de força de vontade temos. Muitas vezes nos perguntam: “Quais são seus sonhos?”. Mas na verdade deveria-se perguntar: “Seus sonhos estão na sua alma?”.

Nossas almas são o corpo da centopéia. Aqueles que tem alma parecida, caminham para a mesma direção.


Por isso antes de atender aos seus sonhos, olhem para sua alma. Eles estão lá? A sua alma é uma janela com qual paisagem? A alma é sempre um lugar puro. Pena que muitos caminhem em direção à cobiça do corpo, esquecendo-se de olhar para alma.

A alma é um lugar mágico, onde se criam forças sonhadoras capazes de modificar o mundo.

A força do desejo da alma é uma das ferramentas mais poderosas que o homem tem.

Quais são os sonhos da sua alma?

(Créditos da fotografia de capa: Sergey Piltnik)

COMPARTILHAR
Raquel Alves
Arquiteta por formação, hoje dedica-se integralmente a presidir o Instituto Rubem Alves, criado para manter vivo o pensamento de seu pai, difundir a sua obra e capacitar novos mestres.



COMENTÁRIOS