Por Mafalda Sequeira Braga

1 – Procrastinamos e não damos valor ao tempo Fazemos inúmeros planos e concretizamos muito poucos. Porquê? Porque achamos que ainda temos tempo, olhamos para a vida como se ela fosse inesgotável. A felicidade requer ação, mesmo que se trate de algo difícil ou de que não tenhamos certezas. E se não estamos satisfeitos com o rumo das coisas, é imprescindível mudar já o que nos deixa infelizes, evitando desperdiçar tempo com aquilo que não tem importância. Deixe de arranjar desculpas para adiar ou anular as suas prioridades.

2 – Vivemos no passado e no futuro, sofrendo por antecipação Não há mal nenhum em recordar coisas boas do passado ou pensar de forma positiva sobre o futuro. Mas desejar ter feito algo de forma diferente, guardar rancor de alguém que já nos fez mal ou temer constantemente o que o amanhã nos reserva só contribui para nos deixar infelizes. O que lá vai, lá vai. Situa-se no momento presente, vivendo um dia de cada vez.

3 – Não temos ou não expomos os nossos objetivos Até podemos ter sonhos mas se não os transformarmos em objetivos claros e concretos, com um plano minimamente traçado, raramente os concretizamos. São eles que determinam a forma como usamos o tempo e nos ajudam a perceber se estamos ou não no rumo certo. Se se sente perdido e sem propósito, comece com um objetivo de curto prazo e faça tudo para o alcançar. Defina apenas aquilo que quer para a sua vida e não aquilo que os outros querem ou esperam de si.

4 – Acumulamos e gastamos dinheiro em coisas que não precisamos Vai mesmo precisar de mais umas calças de ginásio? Ou de mais uma forma para bolos? A maior parte das vezes compramos objetos desnecessários, porque gostamos do seu aspeto, atraídos que somos por truques de marketing e embalagens bonitas. O resultado são armários e gavetas cheios de coisas a que raramente damos uso. Se já não serve, doe ou deite fora. A desordem das nossas casas reflete-se nas nossas mentes.

5 – Fazemos mais do que somos capazes e não sabemos dizer ‘não’ Pare de colocar a felicidade dos outros acima da sua própria felicidade. É bom que queira ver e fazer os outros felizes mas, por causa disso, muitas vezes acabamos por ultrapassar limites físicos e mentais, em casa, no trabalho e em muitas das nossas relações pessoais. Antes de dizer sim, certifique-se que não está a dizer não a si próprio.

6 – Comparamo-nos É inevitável, há sempre alguém mais forte, mais bonito, mais magro, mais rico, mais feliz que nós. Somos constantemente bombardeados nas redes sociais com vidas aparentemente perfeitas que parecem fazer-nos sentir inferiorizados. Mas a realidade pode ser muito diferente daquilo que está a ser mostrado e, mesmo que não seja, estamos a perder o foco daquilo que é verdadeiramente importante. Se a felicidade está disponível para qualquer um, concentremo-nos em melhorar as nossas próprias circunstâncias de vida.


7 –
Não saímos o suficiente de casa
Muitas vezes está bom tempo lá fora e, ainda assim, ficamos em casa. Ou saímos apenas se tivermos um motivo. Não deveríamos precisar de um motivo para sair. Lembre-se que o sol fornece vitamina D, essencial para nos deixar bem-dispostos e evitar depressões. Está frio? Respirar ar fresco também faz bem aos pulmões.

8 – Desistimos antes de tentar, permitindo que o medo nos domine Não assuma que não sabe ou não consegue fazer algo, depois de falhar apenas uma vez ou sem ter sequer tentado. Se não quer fazê-lo porque não gosta, tudo bem, mas não arranje desculpas para justificar a falta de motivação. Se quer aprender, avance sem medo de falhar. O medo impede-nos de desfrutar a vida.

9 – Consumimos demasiada Reality TV e fofocamos Vemos e comentamos a forma como os outros vivem a vida deles em vez de vivermos a nossa. Produtos que fabricam realidades impedem o confronto com a nossa própria realidade. Mais uma vez, perdemos o foco do que é importante. No livro Os 100 Segredos das Pessoas Felizes, o psicólogo David Niven diz que “ver demasiada televisão pode reduzir a nossa felicidade em cerca de 5% por cada hora de visualização”. Depois vêm os comentários, na maioria das vezes depreciativos e reveladores dos nossos próprios medos, inseguranças e dúvidas.

10 – Somos impacientes Queremos tudo o mais rápido possível e com o menor esforço possível. É fácil pensar que pessoas com uma vida incrível conseguiram-no dessa forma e que isso nunca acontecerá connosco, porque temos azar ou não nascemos para ser felizes. A impaciência traz agitação e ansiedade e torna-nos incapazes de superar dificuldades. Se está, por exemplo, a melhorar a sua saúde ou a aprender algo novo, não espere gratificação imediata. Confie num resultado positivo, dando um passo de cada vez.

Título original: O QUE NOS ESTÁ A IMPEDIR DE SER FELIZES


COMENTÁRIOS