Fernando Pessoa, o “Poeta dos Heterônimos”, seguramente é um dos grandes nomes da poesia universal.

Como todo grande homem, ele soube valorizar a infância que trazia dentro de si. Ao ouvir as vozes e risos dos pequeninos, o poeta exergava a si mesmo no enigma do seu passado e permitia-se sentir de novo a alegria da infância.

Eis um belíssimo poema musicado de modo encantador!

Quando as crianças brincam
E eu as oiço brincar,
Qualquer coisa em minha alma
Começa a se alegrar.

E toda aquela infância
Que não tive me vem,
Numa onda de alegria
Que não foi de ninguém.

Se quem fui é enigma,
E quem serei visão,
Quem sou ao menos sinta
Isto no coração.

5-9-1933
Poesias. Fernando Pessoa.
Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995). – 166

COMPARTILHAR
Fernando Pessoa
Fernando Pessoa foi um dos mais importantes escritores e poetas do modernismo em Portugal. Nasceu em 13 de junho de 1888 na cidade de Lisboa (Portugal) e morreu, na mesma cidade, em 30 de novembro de 1935. É mundialmente conhecido como poeta dos heterônimos.

COMENTÁRIOS