As 4 virtudes

O buda deixou para seus discípulos inúmeros ensinamentos, dentre eles, um que é considerado vital para que a maior parte das pessoas possam ter acesso. Trata-se das Quatro Virtudes. Virtudes essas que todas as pessoas têm o direito de sentir em sua própria vida e também transmitir para as outras pessoas. São elas:

Felicidade

Todo ser humano nasceu com um único propósito: ser feliz. E essa felicidade reside em cada ser. Não é algo utópico, mas sim que, mesmo diante das dificuldades, quando os seres humanos possuem o desejo de se tornarem felizes, essa felicidade brota a todo e qualquer instante.

Não se trata de uma felicidade utópica, rejeitando os sofrimentos decorrentes das intempéries. Trata-se da felicidade como ausência de sofrimento e busca pelas vitórias individuais todos os dias.

Eternidade

Significa que a natureza de buda, ou seja, a felicidade absoluta e a iluminação interior está presente em todos os seres vivos do universo.

Refere-se à harmonia em toda sua vida, desde o passado, no presente e para o futuro. Tudo o que acontece e aconteceu em nossas vidas serviu para que nossa felicidade seja eternizada. Esse equilíbrio deve-se ao fato de sermos pessoas que vieram a esse mundo com uma missão. Cada um de nós deverá descobrir e executar essa missão para tornar esse mundo melhor.

Verdadeira identidade ou verdadeiro eu

É não sermos abalados, muito menos influenciados por nada. Pelo contrário. Nós devemos ser as pessoas que influenciam o ambiente de maneira positiva. É não nos deixar abalar pelas questões mundanas que nos fazem sofrer, mas sim, forjarmos um caráter tão sólido quanto uma montanha.

Pureza

O equilíbrio da vida não pode somente ser psicológico e espiritual, deve ser também físico. Devemos nos afastar de vícios que comprometem nossa saúde e bem-estar e que afligem outras pessoas. Determinação, força de vontade e compromisso com a própria vida são características essenciais para aqueles que aplicam essa virtude em sua vida.

Texto escrito por Bruno da Silva Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras.




COMENTÁRIOS