O rosto de pedra

Pedrinho gostava de contemplar uma imensa pedra que tinha as feições de um rosto. A pedra ficava na encosta da montanha. O rapaz podia vê-la de sua casa. O rosto tinha uma expressão de grande força, bondade, alegria e amor que fazia vibrar o coração do garoto.

Uma lenda dizia que, no futuro, surgiria naquele lugar um homem muito parecido com o rosto de pedra. Durante sua infância, e mesmo depois de adulto, o garoto Pedrinho cresceu contemplando o rosto de pedra que tanto o cativava.
Certo dia, Pedrinho, já grande, foi fazer compras na cidade. O povo da localidade conversava a respeito da lenda quando, de repente, alguém exclamou:

– Vejam só! Pedrinho é o homem que se parece com o grande rosto de pedra.

Era verdade! Pedrinho se tornara no rosto que contemplava e que ocupava diariamente seus pensamentos.

Aquilo que nós focamos cresce e determina nossa vida. Se vejo sucesso e prosperidade, isto minha mente atrai e me identifico. Se vir saúde, bem-estar, família feliz, relacionamento duradouro, vida longa e feliz, assim acontece.

Se eu focar fracasso, medos, inseguranças, crises, violência, roubo, etc., isto eu atraio para minha vida.

Se eu me aproximar de pessoas agradáveis, éticas, vencedoras, alegres, de bom humor, positivas, sou contagiado por elas. O mesmo acontece quando convivo com pessoas negativas, pessimistas, maldosas, fofoqueiras…

“Aquele que luta contra monstros deve velar para que ao fazê-lo, não se transforme também num monstro. Se você olha por muito tempo para um abismo, o abismo também olha para você” (Friedrich Nietzsche).

Cuidado ao dar muita atenção ao que você ACHA que te incomoda!

Ocupem-se mais do que te separa de estados de animosidade.

Deixe os lobos cercarem você e logo será você que estará distribuindo dentadas e tomando gosto por isso!

Que olhar você tem para o seu futuro? Você sabe onde quer chegar, suas metas, objetivos, sonhos? Consegue visualizar, imaginar isto já acontecendo na tua vida?

É muito triste atender uma pessoa que te diz: “Não consigo ver nenhum sonho, nenhum objetivo na minha vida. Vivo um dia depois do outro”.

Uma pessoa assim está contemplando sua vida, até o momento, com um olhar de que não valeu a pena viver. Isto acontece porque, normalmente, olha para trás e quais são os luzeiros que mais brilham: os negativos, “fracassos”, decepções… Coloquei fracassos entre aspas porque na vida não existem fracassos, mas aprendizados.

QUAL O ROSTO QUE ESTOU CONTEMPLANDO E QUE DESEJO ASSEMELHAR-ME?

Isto vale também para as minhas leituras, para a contemplação do ROSTO de Cristo. Um olhar constante para Jesus, para seu modo de viver, faz com que me identifico com ele. Jesus dizia: “Quem me vê, vê o Pai”, tamanha era sua identificação com ele. Assim acontece para quem se espelha nos homens e mulheres que deixaram um legado sublime para toda a humanidade, como: Ghandi, Maomé, Buda, Confúcio, Chico Xavier, Madre Tereza de Calcutá, Luter King, Mandela…

COMPARTILHAR
Josué Ghizoni
Parapsicólogo Clínico formado pelo IPAPPI de Curitiba; Pós-graduado em Parapsicologia pela Faculdade Vicentina (FAVI); Master em hipnose; Master em PNL (Programação Neurolinguística); Educador Financeiro; Formado em Filosofia pela PUC de Curitiba; Formado em teologia, com mestrado em Teologia Espiritual pela Gregoriana de Roma. Palestrante nas áreas de educação financeira, parapsicologia, motivação, autoestima, autoconfiança, autoconhecimento. e-mail: [email protected] face: [email protected] página: www.facebook.com/ghizonireorientacaohumana Telefone e whats: (41) 9702-6725



COMENTÁRIOS