Os seres humanos têm definido o amor em mil citações. Sua aproximação ao amor varia dependendo de que perspectiva eles usam se é romântico, parental, platônico, espiritual ou fraternal.

É difícil definir o amor de uma forma universal. Todo mundo está em diferentes estágios de relacionamento. Muitos podem expressar o amor através dos olhos, pela alegria, outros através da dor da tristeza e outros, através das lições aprendidas.

O ambiente também desempenha um papel sobre como você percebe o amor. Mídia, TV ou filmes podem influenciá-lo ou podem deixá-lo tendencioso.

Seja qual for o caso, o amor pode ser melhor visto através dos olhos de mestres ascendentes. Thich Nhat, um monge budista vietnamita famoso, ajuda-nos a ver o amor sob uma nova perspectiva, apresentando os quatro elementos do amor.

Os quatro elementos do amor:

Bondade, compaixão, alegria, e serenidade.

O amor não pode se manifestar sozinho. Ele vai com qualidades específicas que precisam ser aprendidas e aplicadas, diariamente. Se você possui essas qualidades, você está vivendo o verdadeiro amor, de acordo com os ensinamentos budistas.

1. Bondade
Ter bondade significa ser gentil e atencioso com os outros. Quando você faz as pessoas chorarem ou as faz se sentirem mal sobre si mesmas, você não está realmente amando.

Conflitos são inevitáveis em um relacionamento. Mas quando você coloca suas necessidades acima dos outros, colocando-os abaixo de você, você não está realmente amando, você está usando-os para preencher suas necessidades.

O verdadeiro amor deve gerar alegria e não dor. O verdadeiro amor deve fazer os outros se sentirem importantes, cuidados, amados.

2. compaixão
A compaixão está em sentir os sofrimentos e as dores dos outros. Quando você sente a agonia dos outros, isso significa que você os ama verdadeiramente, a ponto de sentir a sua dor como se fosse a sua.

Não há amor maior do que quando se mostra compaixão aos outros. Quando você não ama, você não se importa. Mas quando você ama, você também sente os sentimentos de quem você quer bem.

Para que o amor cresça, você deve praticar a compaixão.

3. Alegria
Quando você realmente ama alguém, você não faz essa pessoa sofrer.

Você dá sol ao seu mundo sombrio, esperança para o seu amanhã nublado.

Quando você está por perto, cada momento que você compartilha é alegre e memorável.

4. Serenidade
Upeksha é um termo sânscrito que significa serenidade, sem apego, sem discriminação e de desapego. “Upa” significa mais, e “iksha” significa olhar. Você deve escalar a montanha para olhar sobre a situação inteira. Isto é o que o quarto elemento do amor é.

O amor verdadeiro é livre de anexos, discriminação, preconceito ou apego. Nós só podemos ter verdadeira serenidade quando nos vemos como aquele que ama e o outro como aquele que é amado, valorizamos os outros mais do que a nós mesmos e não vemos os outros como diferentes de nós mesmos.

Colocando-nos na pele da outra pessoa e tornando-se um com eles são as maneiras de verdadeiramente amá-los e compreendê-los. Ao fazê-lo, eliminamos o “eu” e o “outro”.

Conclusão:
O pensador indiano, Acharya, ou Osho também nos exorta a erguer no amor. Ao dar importância a esses elementos e praticá-los, diariamente, podemos um dia elevar-nos ao amor verdadeiro.
O processo pode ser lento, mas o que importa é o esforço que colocamos em dar amor a cada novo dia. Outros podem beneficiar dele. Mas nós nos beneficiamos mais.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!


COMENTÁRIOS