Estes dez filmes foram adicionados recentemente no catálogo da Netflix e valem cada segundo investido…

À Deriva (Against the Sun – 2014)
Três pilotos da marinha norte-americana colidem no Pacífico Sul. Em um bote salva-vidas no meio do mar aberto, eles ficam sem alimento e água, além de não terem a mínima esperança de serem resgatados. Ótimo filme de guerra de baixo orçamento que ganha pontos pela atuação inspirada de seu trio protagonista.


Okja (2017)

Esta produção original da Netflix, dirigida por Bong Joon-Ho, vai te fazer refletir sobre seus hábitos alimentares. Com doses de humor e muita emoção, o roteiro encantador acompanha a aventura de uma menina e sua melhor amiga, Okja, uma porca gigante criada para o abate.

Operação Invasão 2 (Serbuan Maut 2 – 2014)
O original é uma obra-prima das artes marciais, mas esta sequência aprimora todos os elementos, aproximando-se mais das mirabolantes reviravoltas dos grandes filmes de máfia. As cenas épicas de luta vão te fazer pausar e rever as coreografias em detalhes.

Invasão Zumbi (Busanhaeng – 2016)
George Romero faleceu recentemente, o mestre dos zumbis, então, uma boa pedida é ver esta produção da Coréia do Sul que bebe generosamente da fonte dos clássicos, mostrando os zumbis atacando em uma viagem de trem. Um dos melhores filmes de terror dos últimos anos.



Não me Abandone Jamais (Never Let Me Go – 2010)
Qualquer informação sobre a trama pode estragar a experiência, mas afirmo que o filme termina e sentimos o louco desejo de aproveitarmos cada segundo de nossas vidas, apreciando cada pequeno detalhe.

Disturbing The Peace (2016)
O documentário segue um grupo de ex-combatentes inimigos – soldados israelenses de unidades de elite e combatentes palestinos, muitos dos quais serviram anos na prisão – que se juntaram para desafiar o status quo e dizer “basta”. O filme traça suas jornadas transformacionais de soldados comprometidos com a luta armada para ativistas da paz não violentos. Uma obra fundamental.

Três é Demais (Rushmore – 1998)
O diretor Wes Anderson em início de carreira já mostrava sinais de seu estilo visualmente impactante, uma comédia surreal, um conto de maturidade, um romance irônico, o embrião que se desenvolveria em suas obras futuras.
* Atenção redobrada para estas três pérolas do novo cinema indiano.


Sarkar (2005)
O primeiro (e melhor) de uma ótima trilogia de thrillers políticos, dirigida por Ram Gopal Varma, inspirada em “O Poderoso Chefão”. É uma aula que nossa mirrada indústria poderia absorver.

Ankhon Dekhi (2013)
Homem decide, após uma experiência traumática, acreditar apenas naquilo que vê. Uma comédia deliciosa que melhora a cada revisão.


Kahaani (2012)
Uma jovem foi de Londres para a Índia, grávida, procurar seu marido desaparecido. O caso do desaparecimento fica cada vez mais complexo, e a entrada de agentes do governo em sua resolução mostra que há muito a se desvendar nesta história. Surpreendente trama cheia de reviravoltas, perfeita para mostrar àquelas pessoas que nutrem preconceito com filmes que não se encaixam no padrão de Hollywood.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Octavio Caruso

Escritor, crítico de cinema, ator, roteirista e cineasta, membro da ACCRJ (Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro) e da FIPRESCI (Federação Internacional de Críticos de Cinema).



COMENTÁRIOS